terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Vaso para Honra

Há uma necessidade desesperada de que o povo de Deus desperte e traga a santidade à sua vida! Os cristãos professos do mundo ocidental hoje em dia se acomodaram a um evangelho que cede aos pre­ceitos deste mundo. Doutrinas de prosperidade e de satisfação dos desejos carnais estão em primeiro plano nas igrejas. Ninguém quer pagar o preço de viver uma vida realmente separada e santa.
A conseqüente pobreza na relação pessoal do cristão comum com o Senhor é espantosa. A pergunta mais comum que ouço de pastores ao telefone tem sido: "é realmente possível o Senhor comunicar-se comigo diretamente?" Como isso é trágico! Verdadeiramente, estamos vivendo numa época em que a igreja tem as características da igreja de Laodicéia:
"Ao anjo da igreja em Laodicéia escreve: Estas cousas diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus: Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente. Quem dera fosses frio, ou quente! Assim, porque és morno e nem és quente nem frio, estou a ponto de vomitar-te da minha boca; pois dizes: Estou rico e abastado e não preciso de cousa alguma, e nem sabes que tu és infeliz, sim, miserável, pobre, cego e nu. Acon­selho-te que de mim compres ouro refinado pelo fogo para te enriqueceres, vestiduras brancas para te vestires, a fim de que não seja manifesta a vergonha da tua nudez, e colírio para ungires os teus olhos, a fim de que vejas. Eu repreendo e disciplino a quantos amo. Sê, pois, zeloso, e arrepende-te." (Apocalipse 3:14-19)
O brilho das "estrelas cristãs" da televisão e do "entretenimento cristão" tem cegado os olhos do povo de Deus para a sua terrível pobreza. O êxtase emocional induzido pela repetição de refrão nos cânticos de louvor, e por uma música emocional em muitos cultos, abafam completamente aquela voz suave do Espírito Santo que chama ao arrependimento e à santidade.
A. W. Tozer sintetizou muito bem isso tudo em seu livro The Pursuit of God:
"Vidas superficiais, filosofias religiosas sem conteúdo, a pre­ponderância do elemento da diversão nos encontros evangelísticos, a glorificação de homens, a confiança em demons­trações externas de religiosidade, comunidades aparentemente religiosas, técnicas de vendedores, a confusão de se tomar erradamente uma personalidade dinâmica em lugar do poder do Espírito. Essas coisas, e outras semelhantes a essas, são os sintomas de uma doença maligna, de uma doença séria e profunda da alma." (The Pursuit of God [À Procura de Deus], por A.W.Tozer, Christian Publications, Inc., 1982, p. 69)

Aqueles que aceitaram a graciosa oferta do nosso Salvador para limpar os pecados com o seu precioso sangue derramado na rude cruz do Calvário têm de colocar o pecado e a profanação fora de sua vida. Purifiquemo-nos para que possamos nos tornar vasos para honra (2 Timóteo 2:19 e 21) A escolha é nossa. Você vai se tornar um vaso para honra ou para desonra?

Somente quando alcançarmos uma reverente compreensão da grandeza e da total santidade do nosso Deus, vamos nos quebrantar e clamar:
"Ai de mim! Estou perdido! Porque sou homem de lábios impuros, habito no meio dum povo de impuros lábios, e os meus olhos viram o Rei, o Senhor dos Exércitos!" (Isaías 6:5)

Texto extraído do Livro "prepare-se para guerra"
Postar um comentário